PERGUNTAS E RESPOSTAS DO SEMINÁRIO:

''COMO OS ESPÍRITOS INTERFEREM EM NOSSAS VIDAS'',

REALIZADO EM 11 DE MARÇO DE 2018

PERGUNTA: Posso fazer o evangelho no lar sozinha?

· RESPOSTA: Sim, porque o Evangelho no Lar cria defesas magnéticas em nossa casa, deixando o ambiente com energias positivas, que desestimulam toda ação maléfica, assim beneficiando todos os moradores da casa. Joanna de Ângelis nos fala que os benefícios do Evangelho no Lar ultrapassam o ambiente do lar, e que é pela luz do evangelho que “os dramas pessoais, as ocorrências infelizes, os temores e as discórdias cedem lugar à compreensão fraternal, à caridade recíproca, à paciência, e ao amor.” É por estes fatores que não se deve desistir ou desanimar na prática do Evangelho no Lar, principalmente quando realiza-o sem a companhia dos familiares, ou amigos, pois jamais, nunca se está sozinho, os desencarnados se fazem presentes, pois assim como nós, eles também necessitam ouvir o Evangelho para reduzir os seus erros, precisam de esclarecimento e de consolo. Se possível, mesmo estando sozinho “fisicamente”, realize sempre com voz audível, pois o Evangelho no Lar é um convite para a reforma íntima no convívio fraterno de nosso lar. Jesus disse: “Onde quer que se encontre duas ou três pessoas reunidas em meu nome, eu com elas estarei.” (Mateus, cap.18:20). Nesta frase Jesus retira todas as dúvidas de estarmos sozinhos, não foi da presença física que Ele falou, mas sim da presença espiritual. Pois, jamais se está só quando está falando de Jesus ou de Deus, podemos estar sozinhos fisicamente, no entanto, espiritualmente não. Por isso que Jesus falou tal frase. Jesus sempre está presente.

PERGUNTA: Como se explica ter um filho que desde pequeno frequentou centro espírita e agora não acredita em nada?

· RESPOSTA: Existem causas naturais e legítimas. Na fase de crescimento existem períodos naturalmente conturbados, como o da “expansão subjetiva”, conhecido como “descobrimento da realidade exterior”. Surge a dor “pela perda dos pais ideais”, quando a imagem idealizada e mágica se choca com a realidade. Em relação à evasão do jovem na casa espírita, não podemos esquecer que é natural a rebelião contra a autoridade constituída, neste período da vida. Nessa fase os jovens são constantemente avaliados e aprendem a avaliar a fé da família. Ao encontrarem pais espíritas de fachada sentem-se frustrados. No dia em que a criança percebe que todos os adultos são imperfeitos, torna-se adolescente, e, se tornará adulta quando puder perdoá-los.

Por outro lado, existem outras causas para a evasão:

Eles encontram com muita frequência discursos que ficam aquém de suas ansiedades e reuniões pouco atraentes à luz de sua própria experiência.

Quando encontram temas que aguçam a curiosidade, percebem também que esses estudos são administrados e ministrados por evangelizadores bem-intencionados, porém necessitando de ajustes na condução dos trabalhos, tais como, formular objetivos e selecionar estratégias adequadas à realidade do jovem.

Outra causa legítima é o encontro de contradições. O que é pregado, não é vivenciado no Centro. O comportamento dos pais é ainda mais fácil de observar. Quando aprendem que devem amar ao próximo, mas os pais não vivem de acordo com esse preceito, eles se sentem traídos.

Os pais podem estar diante de um espírito ainda míope para as questões espirituais. Portanto esse jovem pode estar à procura de algo que ainda não sabe, necessitando grande trabalho e atenção dos pais e da casa espírita para que ele se encontre e se identifique intimamente com os ensinamentos e a doutrina.

 

PERGUNTA: As más influências sempre são exercidas pelas desavenças?

· RESPOSTA: As questões do Livro dos Espíritos respondem bem essa pergunta:

466. Por que permite Deus que os espíritos nos incitem ao mal?


— Os espíritos imperfeitos são os instrumentos destinados a experimentar a fé e a constância dos homens no bem. Tu, sendo Espírito, deves progredir na ciência do infinito, e é por isso que passas pelas provas do mal para chegar ao bem. Nossa missão é a de colocar-te no bom caminho, e quando más influências agem sobre ti, és tu que as chamas, pelo desejo do mal, porque os Espíritos inferiores vêm em teu auxílio no mal, quando tens a vontade de o cometer; eles não podem ajudar-te no mal, senão quando tu desejas o mal. Se fores inclinado ao assassínio, pois bem, terás uma nuvem de espíritos que entreterão esse pensamento em ti; mas também terás outros que tratarão de influenciar-te para o bem, o que faz que se reequilibre a balança e te deixe senhor de ti.

467. Pode o homem se afastar da influência dos Espíritos que o incitam ao mal?

— Sim, porque eles só se ligam aos que os solicitam por seus desejos ou os atraem por seus pensamentos.

468.Os Espíritos cuja influência é repelida pela vontade do homem renunciam às suas tentativas?

— Que queres que eles façam? Quando nada têm para fazer, abandonam o campo. Não obstante, espreitam o momento favorável, como o gato espreita o rato.

469. Por que meio se pode neutralizar a influência dos maus Espíritos?

— Fazendo o bem e colocando toda a vossa confiança em Deus, repelis a influência dos Espíritos inferiores e destruís o império que desejam ter sobre vós. Guardai-vos de escutar as sugestões dos Espíritos que suscitem em vós os maus pensamentos, que insuflam a discórdia e excitam em vós todas as más paixões. Desconfiai sobretudo dos que exaltam o vosso orgulho, porque eles vos atacam na vossa fraqueza. Eis porque Jesus vos faz dizer na oração dominical: “Senhor, não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal!”

PERGUNTA: Quando se fala de elevação moral necessária, crescimento moral, qual é o limite? Qual é o topo deste progresso moral, para nós espíritos encarnados?

· RESPOSTA: A classificação dos Espíritos funda-se no seu grau de desenvolvimento, nas qualidades por eles adquiridas e nas imperfeições de que ainda não se livraram. Esta classificação nada tem de absoluta: nenhuma categoria apresenta caráter bem definido, a não ser no conjunto: de um grau a outro, a transição é insensível, pois, nos limites, as diferenças se apagam, como nos reinos da Natureza, nas cores do arco-íris ou ainda nos diferentes períodos da vida humana. Pode-se, portanto, formar um número maior ou menor de classes, de acordo com a maneira por que se considerar o assunto. Os Espíritos admitem, geralmente, três categorias principais ou três grandes divisões. Na última, aquela que se encontra na base da escala, estão os Espíritos imperfeitos, caracterizados pela predominância da matéria sobre o espírito e pela propensão ao mal. Os da segunda se caracterizam pela predominância do espírito sobre a matéria e pelo desejo de praticar o bem: são os Espíritos bons. A primeira, enfim, compreende os Espíritos Puros, que atingiram o supremo grau de perfeição.

PERGUNTA: Por que bebês e crianças de até 7 anos sofrem influência do plano espiritual?

· RESPOSTA: Segundo a Doutrina, o processo reencarnatório só se encerra por volta dos 7 anos. Até lá, a criança está ligada tanto ao mundo espiritual quanto ao físico . Por isso é que na infância ocorrem fenômenos de várias categorias, porém, às vezes, pode ser que espíritos sofredores habitem o mesmo local que a criança vive, e mesmo que não queiram causar mal, podem provocar medo e provocar choro. Além disso há os que querem assustá-la para punir alguém da família.

 

PERGUNTA: Além de tentar manter a sintonia em harmonia haveria um plano B para se tornar imune à interferência da energia de nível inferior?

· RESPOSTA: Desconheço.

 

PERGUNTA: Como agir quando você percebe que tem obsessor com uma pessoa que não conhece o espiritismo. O que fazer para alertar e ajudar?

· RESPOSTA: Convidar a pessoa a se observar naquelas atitudes que se mostre estranha para que ela perceba alguma inconveniência que esteja praticando e ajudar com orações.

PERGUNTA:  Tive a oportunidade de nascer em uma família onde meus pais tiveram 18 filhos, por este motivo tivemos que aprender desde cedo a sermos unidos e dividir o pouco que tínhamos. Me considero um privilegiado por aprender valores que me acompanharam pelo resto da vida. Meu pai e meu irmão mais velho, já desencarnaram e ainda hoje sinto a influência de ambos na minha vida. Minha pergunta é sobre as pessoas que não tiveram a mesma oportunidade e cresceram em famílias ricas e com o problema de egoísmo além de outros que a riqueza traz.

· RESPOSTA: Os espíritos sabem o meio que viverá e vêm no ambiente para se fortalecer ou para ser suporte daqueles que o receberam. Sempre haverá espaço para o progresso das criaturas. Às vezes os filhos são quem auxiliam os pais e às vezes os pais auxiliam os filhos.

 

 

PERGUNTA: Afinal a influência dos espíritos pode guiar nossos destinos ou muitas vezes depende do meio onde estamos?

· RESPOSTA: Os espíritos podem nos guiar se estivermos desatentos porém sempre haverá oportunidade de nos colocarmos no rumo certo e de adquirirmos uma fé sincera. O meio influencia muito mesmo, mas os espíritos resolutos superam todas as dificuldades e vencem!